• Blog
  • by Adriano Medeiros
  • 4 de outubro de 2017
  • 121
  • 0

Câncer de Mama Outubro Rosa

 

O câncer de mama é um assunto discutido durante todo o ano, mas no mês de outubro ele ganha um destaque especial. A campanha Outubro Rosa acontece no mundo inteiro, onde instituições procuram conscientizar principalmente mulheres acima dos 35 anos sobre os cuidados para a doença.

Infelizmente os números de morte por câncer de mama ainda são altos. De acordo com estudos e pesquisas divulgados pelo Instituto do Câncer – INCA esse é o tipo de tumor que mais mata mulheres em nosso país.

Foi pensando em alertar ainda mais para o diagnóstico precoce, assim como para o tratamento ideal do câncer de mama, que resolvi publicar um artigo bem especial nesta semana.

Explicarei como o câncer se forma, quais os principais sintomas, como você identifica e previne-se, assim como mostrarei as principais soluções para reconstrução mamária.

 

O que você vai Ver:

 

  • O que é o Câncer de Mama e Como Ele se Forma?
  • Quais os Principais Sintomas?
  • Como Prevenir – Fatores de Risco para o Câncer de Mama
  • Tipos de Câncer de Mama
  • Como Acontece o Tratamento?
  • Como é o Pós-operatório?
  • Dúvidas Frequentes sobre o Câncer de Mama
  • Cirurgia de Reparação: Porque Optar Por Ela?
  • Conclusão

O que é o câncer de mama e como ele se forma?

Câncer de Mama foto ilustrativa do seioImagem do seio com Nódulo de Câncer de Mama

Sabe-se que o câncer de mama é um nódulo aleatório que cresce demasiadamente e passa a invadir os tecidos da mama. Contudo, não se tem informações sobre quais fatores exatos determinam esse crescimento anormal e porque ele acontece.

Na maioria dos casos, os hormônios e os fatores genéticos foi quem determinou o surgimento do tumor em mulheres doentes.A formação e vai depender da sua origem. Se o câncer partiu de uma mutação hereditária ou adquirida.

Já a sua disseminação se dá quando as células doentes invadem o seu sistema linfático ou a circulação sanguínea. A partir daí elas podem ser transportadas para outras partes do seu organismo.

 

Quais os principais sintomas?

Principais sintomas do câncer de mama

Dependendo do seu organismo, é possível que o câncer de mama não apresente nenhum sintoma aparente.  É preciso conhecer muito o próprio corpo para reconhecer qualquer tipo de alteração.

Se você ainda tem ciclo menstrual, evite apalpar os seios nesse período. O seu corpo geralmente sofre algumas modificações e você pode detectar apenas o inchaço normal da época. Já quem não menstrua mais não há problemas com o período certo.

Entre os principais sintomas do câncer de mama que quero destacar, estão:

  • Nódulo rígido em qualquer região da mama. Você pode manter a regularidade de um autoexame e notará caso alguma glândula mamária esteja diferente;
  • Certa irritação na mama, semelhante às dores comuns do período menstrual;
  • Pele mais retraída na região do nódulo encontrado;
  • Vermelhidão na pele, chamado tecnicamente de Eritema;
  • Sensação de um nódulo também na região da axila;
  • Secreção na cor de sangue ou mais serosa (transparente) saindo pelos mamilos;
  • Inchaço do braço.
  • Dor na mama ou mamilo.

Não é necessário que uma mulher que apresente o tumor sinta todos os sintomas acima. Alguns deles são inexistentes até você chegar a um nível mais elevado do tumor.

Ainda assim é importante que busque o auxílio de um médico caso perceba um desses sintomas para que ele realize o exame clínico ou solicite uma mamografia.

 

Como prevenir – Fatores de risco para o câncer de mama

Há diversos fatores de riscos que ajudam no desenvolvimento do câncer de mama. Isso não significa que você terá a doença, mas que está mais vulnerável. A partir de tais fatores, é preciso se prevenir e levar um estilo de vida mais seguro e saudável.

Destaquei alguns desses fatores para você:

      Gênero: a mulher tem muito mais riscos de adquirir um câncer de mama do que o homem;

        Idade: quando você completa 35 anos já é recomendável que realize anualmente a prevenção. Segundo as estatísticas do INCA, que citei no início do texto, a maioria das mulheres doentes está com idade a partir dos 55 anos;

        Fatores Genéticos: ainda utilizando dados do INCA, entre 5 e 10% dos casos de câncer de mama partem de fatores genético. Isso significa que se você herdou algum defeito genético de seus pais, as chances de desenvolver o tumor são bem maiores;

        Histórico Familiar: para quem tem um histórico de câncer de mama na família, principalmente vindo de parentes em primeiro grau (mãe, irmã ou filha), os riscos são bem maiores. É preciso consultar seu médico com regularidade;

        Histórico Pessoal: se você já teve um nódulo ou um câncer continua entre os fatores de risco para a doença. Esse risco aumenta mais ainda se o tumor apareceu quando você era mais jovem;

        Mamas Densas: se você tem seios mais densos, saiba que tem até 2 vezes mais probabilidade de desenvolver um câncer de mama;

        Menstruação precoce: as mulheres que menstruaram antes dos 12 anos têm um risco maior para o câncer de mama. Isso se dá pela exposição mais longa de hormônios femininos;

Se você se encaixa em um dos fatores acima, aconselho buscar regularmente a orientação de um médico especializado.

 

Tipos de câncer de mama

Os tipos de câncer de mama são diversos. Posso dizer que há basicamente duas categorias: a de cânceres invasivos e a de cânceres comuns.

Câncer de mama Ductal Insitu

O primeiro tipo caracteriza-se por câncer carcinoma ductal ou lobular . Além de se desenvolver mais rapidamente, os carcinomas podem se espalhar por outras partes do corpo. O tratamento e o diagnóstico deve ser o mais precoce possível.

Câncer de mama lobular incita

Já quando seu câncer é diagnosticado como o tipo “in situ”, as chances de cura são de quase 100%. Nesse caso, não há risco de invasão e metástase, por parte das células doentes. Quanto mais cedo diagnosticado, mais rápida é a sua recuperação.

 

A telemedicina já é uma realidade, agende sua consulta com o Dr. Adriano Medeiros!

Com o Dr. Adriano Medeiros, você é atendido por vídeo ao vivo e pode tirar dúvidas sobre atendimentos e fazer acompanhamentos! Esse atendimento acontece na nossa plataforma exclusiva, um consultório virtual que você acessa pelo seu celular ou computador.

A telemedicina oferece uma gama de benefícios, dentre eles podemos citar:

  • Encurtar a distância;
  • Economizar tempo;
  • Rapidez;
  • Economia;
  • Acessibilidade;
  • Exclusividade.

Como acontece o tratamento

Em quase 100% dos casos de câncer de mama, o médico indicará a cirurgia o mais cedo possível. Além de ser o tratamento mais comum, é também a forma mais direta de atacar o câncer e permitir uma recuperação mais segura e rápida para a mulher.

A cirurgia pode ser realizada para diversos fins. A remoção completa ou máxima do tumor é sempre a primeira etapa. Posteriormente, o médico pode solicitar uma nova incisão para diagnosticar e saber se o tumor não se espalhou para os seus linfonodos.

A última incisão geralmente acontece quando a paciente é diagnosticada como curada. A partir de então, pode ser feita uma cirurgia para reconstrução da mama com implantação de prótese de silicone.

O seu médico pode optar por dois tipos de cirurgia para o câncer de mama:

 

  •         Cirurgia Conservadora da Mama ou Tumorectomia: quando apenas a região afetada pelo tumor passa por uma cirurgia. Geralmente o médico cirurgião realiza uma raspagem, eliminando todo tumor e os tecidos doentes. Pode existir uma diminuição da mama, geralmente avaliada e analisada pelo próprio médico;

Tumorectomia - Cirurgia conservadora da mama

  •         Mastectomia: é o tipo de cirurgia mais agressiva. Neste procedimento há a retirada de toda a mama da mulher doente. Isso inclui o tumor e todo o tecido mamário. Caso seu médico ainda consiga diagnosticar outros tecidos próximos doentes, eles também serão eliminados.

Mastectomia câncer de mama

O seu médico é muito importante neste momento. É preciso ouvir com atenção e analisar todas as possibilidades. Há casos, como o da atriz Angelina Jolie, onde mulheres com risco de câncer de mama ou já doentes optam por eliminar os dois seios em uma Mastectomia.

Em outras situações, apenas uma Tumorectomia elimina todas as possibilidades de surgimento ou ressurgimento de tumor.

 

Como é o pós-operatório

O pós-operatório do câncer de mama é bastante rigoroso e exige um acompanhamento médico por alguns meses após a cirurgia.

O seu médico provavelmente indicará a prática de exercícios. Esses são, basicamente, para a recuperação total dos movimentos e da força dos ombros e braços, regiões muito afetadas pelo câncer e pela cirurgia. Geralmente esses exercícios decorrem a partir do terceiro dia após a cirurgia e vão até o sétimo dia.

Há também a inclusão diária de medicamentos. Esses ajudam a aliviar a dor da cirurgia, além da reconstrução do organismo que pode ser amplamente afetado. Essas dosagens normalmente duram entre 1 e 2 meses, dependendo da gravidade do seu câncer.

Outros tratamentos também fazem parte do pós-operatório de um câncer de mama. A radioterapia e a quimioterapia, são indicadas para cânceres mais invasivos, por exemplo.

 

Dúvidas frequentes sobre o câncer de mama

O câncer de mama mesmo sendo muito comum gera diversas dúvidas em mulheres de todas as idades. Destaquei aquelas perguntas que considero mais comuns:

1 – É sempre possível notar a doença por meio do toque nos seios?

Não. Dependendo do tipo de câncer de mama que você tem, os sintomas podem não ser palpáveis. Os exames periódicos são sempre a melhor forma de detectar o tumor.

2 – Atinge homens em que proporção?

Também não. As estatísticas apontam menos de 1% de incidência de câncer de mama em homens. Ainda assim a possibilidade existe e é importante realizar exames periódicos.

3 – É verdade que a mamografia não é o melhor exame para quem tem mamas densas?

Mulheres com mamas muito densas possuem glândulas mais fibrosas. Isso pode dificultar a visibilidade de algum tumor, principalmente em estágio inicial. É importante que você realize o exame e deixe o seu médico decidir. Caso ele ache conveniente, solicitará uma ultrassonografia.

 

Cirurgia de reparação: porque optar por ela?

Quando se trata de estética, as mulheres acabam sentindo muito mais por serem naturalmente mais vaidosas. A situação realmente é bastante delicada, mas você precisa lembrar que agora tem saúde e pode ter seios novos, bonitos e sem complicações.

Entre as opções de reconstrução mamária, a prótese de silicone é a mais comum delas. Através de incisões estratégicas, um implante é colocado em seu seio, trazendo de volta todo o seu bem-estar e autoestima.

Com um elevado grau de satisfação, a mamoplastia ajudará você a superar qualquer obstáculo trazido pelo câncer de mama. É possível levar uma vida comum e sem risco algum!

Cada paciente pode optar por fazer a reconstrução mamária já no momento da mastectomia ou após o tratamento completo. É importante discutir com seu médico qual o melhor momento. Dessa forma dá para planejar mais corretamente para que a sua cirurgia seja um sucesso.

 

Conclusão

Gostou do conteúdo dessa semana? Não deixe de realizar o seu exame periódico! A sua saúde é sempre mais importante. Ficou alguma dúvida sobre o câncer de mama que não consegui esclarecer no texto? Deixe seu comentário que responderei!

[:]

Adicionar comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

pt_BRPortuguese