• 114
  • 0

Tem gente que não se importa, mas a grande maioria das pessoas considera a calvície um ponto que pode prejudicar a estética e a autoestima. Causado por fatores tanto genéticos quanto do dia a dia — como estresse e fumo excessivo —, esse mal atinge milhares de indivíduos ao redor do mundo.

Para que o problema da queda de cabelo seja solucionado, homens e mulheres têm optado pelo implante capilar. Essa solução, cada vez mais avançada e adotada (até mesmo por famosos), pode dar um fim à calvície de uma vez por todas.

Mesmo assim, ainda surgem muitas questões sobre a prática, como ela acontece e quais são os seus reais resultados. Por isso, eu trouxe  hoje, 8 perguntas respondidas sobre o implante capilar.

1. Afinal, o que é o implante capilar?
Há algum tempo, a maioria dos implantes capilares eram realizados com fios sintéticos, ou seja, quem os recebia não era o doador. Contudo, é preciso entender que, com o tempo, eles podem ser rejeitados pelo organismo do paciente e voltarem a cair. Com o avanço e aperfeiçoamento do processo, o implante capilar também é chamado hoje de transplante capilar.

Como o conceito foi se popularizando, é natural que muitas pessoas associem os dois termos — uma vez que, atualmente, eles são sinônimos para o transplante realizado a partir de fios naturais.

2. Como funciona o procedimento?
A técnica consiste em remover fios de cabelo saudáveis do couro capilar do paciente e implantá-los em regiões calvas com falhas de folículos. O processo todo é realizado na hora, fio por fio, na parte careca.

Geralmente, as áreas que contam com uma maior quantidade de fios saudáveis estão localizadas próximas à nuca do paciente. Desse modo, eles são retirados e transplantados às zonas carecas do couro cabeludo, onde ocorre a formação de novos folículos que passarão a gerar cabelos saudáveis.

O processo costuma ser realizado em uma ou duas sessões, a depender do grau de calvície da pessoa. Como se trata de uma cirurgia mais “natural”, os resultados podem ser notados a partir de seis meses.

3. Como é a cirurgia?
Cada sessão conta com o implante de cerca de 2 mil unidades foliculares — onde cada folículo reúne de um a quatro fios — e é preciso haver um intervalo de cerca de um ano e meio entre as sessões. A técnica pode ser adotada por pessoas acima de 20 anos.

O processo do implante consiste em pequenos “furos” de até 0,8 milímetro que são feitos no couro cabeludo para a implantação dos fios sadios. Ele deve ocorrer sempre na mesma direção, mantendo o ângulo e as irregularidades dos cabelos que caíram.

Para garantir bons resultados, a equipe médica abrange de 5 a 12 profissionais e pode passar até 10 horas focada no processo. A parte de onde os fios são removidos deve ter cerca de três dedos de comprimento. Por fim, a operação é feita em hospital ou consultório e o paciente recebe anestesia local e sedação.

4. É possível obter um efeito natural?
É possível, sim. Como o processo é realizado de maneira minuciosa e com fios naturais, o resultado também tende a parecer o mais real possível. As chances do cabelo crescer nas áreas afetadas chega a ser de 95%.

Vale ressaltar que o paciente sentirá a sensação de preenchimento mais uniforme, mas pode não notar uma quantidade de madeixas tão avantajada quanto na adolescência — afinal, com o passar dos anos, o metabolismo e o funcionamento do corpo tendem a desacelerar.

Ainda assim, a grande maioria das pessoas que realiza a operação fica extremamente satisfeita com o resultado. Alguns exemplos de famosos que aderiram à técnica são os atores John Travolta e Marcos Pasquim e o jogador de futebol Wayne Rooney.

Mesmo depois da cirurgia, o ideal é que o paciente continue o tratamento para cuidar tanto da área que já era saudável quanto da região implantada.

5. Quem pode fazer um implante capilar?
O procedimento estético pode ser realizado em homens ou em mulheres, ou seja, praticamente todas as pessoas afetadas pela calvície podem se submeter à cirurgia. O mesmo vale para diabéticos e hipertensos, desde que sejam devidamente monitorados pelo anestesista do centro cirúrgico.

Contudo, alguns pacientes têm área doadora com pobre volume capilar, o que pode ser insuficiente para estabelecer uma boa cobertura da zona comprometida pela calvície. Casos como o descrito afetam cerca de 5% dos homens e até 30% das mulheres.

6. Quais são os cuidados antes e depois do implante?

Antes
Os principais cuidados pré-operatórios instruem os pacientes a, três meses antes da cirurgia, massagear diariamente a zona do couro cabeludo de onde os fios sadios serão retirados. Também é preciso tratar bem a região, que deve ficar livre de inflamações e caspa. Conforme a cirurgia se aproxima, os fumantes devem ficar duas semanas sem fumar e todos devem suspender o consumo de bebida alcoólica dois dias antes da cirurgia. Além disso, também é preciso fazer jejum de 8 horas.

Depois
O pós-operatório é praticamente indolor (algumas pessoas podem utilizar medicações analgésicas comuns) e exige cuidados simples, porém, pontuais, já que o paciente vai para casa no mesmo dia. Alguns deles são:

  • voltar ao consultório no dia seguinte para lavar o cabelo;
  • dormir com mais de um travesseiro para deixar a cabeça elevada;
  • evitar exercícios físicos nos primeiros três dias para que não haja sudorese na região da cabeça;
  • evitar cigarro e bebidas alcoólicas pelas duas semanas seguintes;
  • evitar tomar sol diretamente na cabeça por seis semanas;
  • fazer acompanhamento nos períodos de um mês e meio, três meses, seis meses, um ano e um ano e meio.

7. Quanto custa uma cirurgia de implante de cabelo?

O valor para cada caso depende de fatores como região de atuação da clínica, número de fios a serem transplantados, grau de calvície do paciente, tamanho da equipe médica, cirurgião plástico responsável, entre outros.

De modo geral, o custo pode variar entre R$ 7 mil a R$ 42 mil. O importante é não considerar apenas o valor do procedimento como diferencial para escolher a clínica. Nessas situações, o barato pode custar caro.

8. Como escolher um bom profissional?
Como mencionado acima, é importante escolher o profissional não só pelo valor do procedimento. Avalie se a clínica conta com um dermatologista ou cirurgião plástico habilitado e credenciado, experiência no mercado, condições do local da cirurgia (caso seja realizada em consultório), integrantes da equipe médica, recomendações e relatos de outros pacientes, entre outros.

 

CONCLUSÃO

Uma cirurgia de implante capilar pode fazer toda a diferença na autoestima e vaidade de uma pessoa, ajudando a conciliar e deixar outras áreas da vida mais leves e livres de problemas. Como você viu nessas respostas, trata-se de um procedimento vastamente utilizado e que pode transformar qualquer um.

E você, gostou do conteúdo e quer dar um up na sua saúde e autoestima? Então entre em contato com nossa equipe especializada e entenda como podemos ajudá-lo a ter sucesso nos seus objetivos!

Adicionar comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

pt_BRPortuguese