• Blog
  • by Adriano Medeiros
  • 29 de junho de 2017
  • 86
  • 0

A Rinoplastia é uma cirurgia que ajuda a realçar a harmonia facial e também corrige desvios nasais e anomalias estruturais que dificultam a respiração. Costuma ser um procedimento tranquilo e sem muitas contraindicações mas como toda cirurgia, requer alguns cuidados e em algumas situações pode não ser recomendada.

Vamos falar de alguns fatores internos e externos que podem atuar na possibilidade ou não de o paciente se submeter ao procedimento. Questões psicológicas, comprometimento e outras cirurgias, podem ser fatores impeditivos.

Hoje vamos falar de:

  •    Existe paciente ideal para fazer uma Rinoplastia?
  •    Quando não operar?
  •    Problemas pessoais
  •    Expectativas fora da realidade
  •    Obsessão pela perfeição
  •    Depressão e desequilíbrios mentais
  •    Excesso de cirurgias
  •    Crianças e adolescentes
  •    Pós-operatório
  •    Conclusão

Existe paciente ideal para fazer uma Rinoplastia?

Antes de pensar em se submeter a qualquer cirurgia plástica, primeiro a paciente deve focar nos porquês, objetivos do procedimento e suas expectativas em relação aos resultado.

 

Pacientes com auto estima baixa devem procurar um médico especialista para entender os meios para não só resolver esse problemas mas também para entender os motivos, se o problema pode ser resolvido de outras maneiras ou se é realmente necessário fazer uma rinoplastia.

 

Pacientes com defeitos físicos ou discrepâncias estéticas gritantes, que obviamente também tem a auto estima baixa, podem demorar mais para se adaptar aos resultados da cirurgia, sendo maior ainda a necessidade de se tomar certos cuidados para o objetivo ser realmente melhorar a auto estima e mudar a vida positivamente.

 

Quando não operar?

Mesmo que existam indicações físicas para a necessidade de recorrer ao procedimento cirúrgico, há quem não tenha naquele momento ou sempre, o perfil do paciente que pode ser operado sem maiores complicações.

 

Muitas vezes o próprio médico consegue identificar esses pacientes durante as primeiras consultas, outras vezes pode ser importante que ele peça aos pacientes que apresentem uma avaliação de um psicólogo para garantir que estejam realmente prontos para a cirurgia.

 

Problemas pessoais

Pacientes que estejam passando por crises pontuais, como uma crise no casamento, ou o divórcio de fato, morte do esposo, da esposa ou talvez a perda de um emprego, podem procurar na Rinoplastia por acharem que vão resolver esses problemas simplesmente mudando a aparência ou melhorando superficialmente a autoestima, se frustrando porque não serão resolvidos.

Expectativas fora da realidade

Muitas pessoas buscam um cirurgião plástico para ficarem parecidos com aquela ator que admiram, outras para voltar a exata aparência que tinham após um acidente e alguns para retomar as idades perdidas. Todos têm em comum, expectativas que podem não se concretizar.

 

Nos três casos, o resultado da Rinoplastia pode causar uma grave frustração porque os resultados alcançados, mesmo que sejam os melhores possíveis, não vão ser exatamente como o desejado.

 

Obsessão pela perfeição

Algumas pessoas tem a falsa percepção de alguma coisa errada com a aparência quando na verdade não há. Sem o acompanhamento psicológico, não é indicado que a pessoa se submeta à Rinoplastia porque é irreversível e como a essa pessoa nunca vai estar satisfeita, vai querer passar por mais procedimentos indefinidamente.

A telemedicina já é uma realidade, agende sua consulta com o Dr. Adriano Medeiros!

Com o Dr. Adriano Medeiros, você é atendido por vídeo ao vivo e pode tirar dúvidas sobre atendimentos e fazer acompanhamentos! Esse atendimento acontece na nossa plataforma exclusiva, um consultório virtual que você acessa pelo seu celular ou computador.

A telemedicina oferece uma gama de benefícios, dentre eles podemos citar:

  • Encurtar a distância;
  • Economizar tempo;
  • Rapidez;
  • Economia;
  • Acessibilidade;
  • Exclusividade.

Depressão e desequilíbrios mentais

Pessoas com comportamento paranoico e que apresentam quadro depressivo devem ser acompanhadas e na maioria das vezes aconselhadas a não se submeterem a Rinoplastia ou a qualquer cirurgia plástica.

 

Nesses casos é necessário o acompanhamento de um psicólogo para que o cirurgião tenha certeza de que os objetivos e expectativa do paciente não estejam ligadas à esse quadro, correndo o risco de piorar a situação.

 

Excesso de cirurgias

Outra situação quando não é indicado a rinoplastia é a realização do procedimento junto com outra cirurgia. Essa prática aumenta a chance de intercorrências anestésicas, complicações e dificulta o pós operatório.

 

Isso pode acontecer com a combinação por exemplo rinoplastia com plástica abdominal e coxa e principalmente outros procedimentos que seja realizados na face ou região da cabeça. O rosto é o cartão de visitas, qualquer problema pode afetar toda a harmonia fácil tendo efeito contrário na autoestima da paciente.

 

Crianças e adolescentes

Como já falamos aqui no blog sobre a Rinoplastia na adolescência (clique aqui), a adolescência é uma fase da vida em é grande a preocupação com a imagem, sendo ela mais importante do que todas as outras características que possamos ter, como inteligência e habilidades.

Os adolescentes podem ser alvo de brincadeiras de mal gosto, que mesmo sem querer podem atingir e muito a auto estima, tirando o foco de outras coisas mais importantes como os estudos, a atividade física e o desenvolvimento de relações sociais.

A Rinoplastia pode ser feita por jovens mas deve servir para melhorar a harmonia facial, a função respiratória e não transformar em algo que não é, sendo usada como opção estética pura e simplesmente para se alcançar a dita beleza muitas vezes pregada pela sociedade.

 

Pós-operatório

O pós-operatório é muito importante e o médico deve informar todos os cuidados necessários e caso a paciente não possa ou por algum motivo não vá seguir as indicações, é extremamente contra indicado o procedimento plástico cirúrgico.

 

Alguns pacientes experimentam desânimo e tristeza temporários, podendo passar por uma depressão pós-operatória. Isso acontece geralmente quando a paciente está pronta para voltar as atividades cotidianas, mas ainda não atingiu 100% da recuperação e aparência física.

 

Conclusão

O rinoplastia, assim como qualquer cirurgia deve ser encarado de forma séria e com muita responsabilidade. Assim também como toda cirurgia plástica tem como objetivo proporcionar o bem-estar do paciente, além de estimular sua autoestima positivamente.

 

Para que isso aconteça, como sempre gosto de lembrar a necessidade de que a cirurgia seja realizada por cirurgião plástico membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. O mesmo vale para os casos onde haja a necessidade de uma avaliação psicológica.

 

Se depois de tudo que falamos, o médico achar que a paciente está em condições físicas e psicológicas para realizar a cirurgia, é bom sempre ter em mente os objetivos e os resultados pretendidos, porque podem surgir comentários como “você estava melhor antes” ou “você não precisava de uma plástica”.

 

É sempre indicado encontrar apoio nas pessoas próximas e no médico de confiança.

Espero que o post de hoje tenha tira suas dúvidas sobre o tema da semana.

 

Ficou alguma dúvida? Deixa seu comentário aqui no post,  se inscreve no meu canal, que sempre tiro as principais dúvidas sobre o tema da semana na sexta feira no Direto ao Ponto. Curte minha página no Facebook e me segue no Instagram.[:]

Adicionar comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

pt_BRPortuguese